A inclusão de juros nas vendas a prazo em operações B2B

  • Carlos Shinoda Instituto Nacional de Pós Graduação. Rua Pirajussara, 46 Butantã 05501-020 - Sao Paulo, SP - Brasil Telefone: (11) 30958400
Palavras-chave: tributos indiretos recuperáveis, ajuste a valor presente, custo financeiro

Resumo

Os tributos indiretos que incidem sobre o faturamento das empresas são recolhidos em datas fixas do mês subsequente ao da ocorrência do seu respectivo fato gerador, independentemente da venda ser realizada. Relativamente aos mencionados tributos as empresas devem colocar atenção em dois pontos principais: a data de ocorrência do fato gerador e o cálculo do custo financeiro ou de oportunidade nas vendas a prazo. Quanto mais no início do mês ocorrer a emissão de nota fiscal maior o benefício para a gestão de capital de giro da empresa fornecedora. Ou seja, se a venda for realizada à vista a empresa usará por maior tempo o valor do tributo para financiar o seu capital de giro. Nos fornecimentos a prazo, a cobrança de custo financeiro ou de custo de oportunidade sobre o valor da nota fiscal a vista não produzirá para a empresa fornecedora o mesmo valor líquido ajustado a valor presente. Isso porque os tributos indiretos incidem sobre o custo financeiro cobrado pelo fornecedor nas vendas a prazo, embora as datas de recolhimento dos tributos indiretos sejam as mesmas. Porém, regras do Pronunciamento Técnico CPC nº 12 os tributos incidentes sobre vendas não devem ser ajustados a valor presente e sim mantidos pelo seu valor nominal. Por sua vez, o comprador paga tributos sobre o custo financeiro, mas se para ele forem recuperáveis, se creditará pelo valor pago. São sugeridos, neste artigo, fórmulas para a correta inclusão de custo financeiro ou custo de oportunidade nos fornecimentos a prazo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Shinoda, Instituto Nacional de Pós Graduação. Rua Pirajussara, 46 Butantã 05501-020 - Sao Paulo, SP - Brasil Telefone: (11) 30958400
Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade de São Paulo. Mestre em Finanças pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas. Bacharel em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Foi executivo financeiro da Cosipa Companhia Siderúrgica Paulista (atualmente Usiminas) e consultou financeiro de empresas. Como professor de Matemática Financeira em cursos in company em empresas e instituições financeiras (na versão HP-12C ou EXCEL). Professor universitário desde 1977, tendo lecionado disciplinas das áreas de controladoria e finanças, em nível de graduação e pós-graduação lato sensu em diversas instituições (PUC/Camp, EAESP-FGV, etc.). Diretor do acadêmico e professor dos programas de MBA e Especialização do INPG - Instituto Nacional de Pós-Graduação. Autor do livro Matemática Financeira para Usuários do Excel , Editora Atlas, São Paulo. Co-autor de artigos apresentados em congressos e simpósios.

Referências

Borges, H. B. 2011. Gerência de Impostos: IPI, ICMS, ISS e IR. 7ª ed. São Paulo: Editora Atlas.

Borges, H. B. 2014. Planejamento Tributário: IPI, ICMS, ISS e IR. 13ª ed. São Paulo: Editora Atlas.

Comitê de Pronunciamentos Técnicos. 2014. Pronunciamento Técnico CPC 12 – Ajuste a valor presente. 2008. Disponível em http://static.cpc.mediagroup.com.br/Documentos/219_CPC_12.pdf. Acesso em 29/11/2014.

Shinoda, C. 1998. Matemática Financeira para Usuários do Excel. 2ª. ed. São Paulo: Editora Atlas.

Shinoda, C.; Brunstein, I. 2003. Aspectos econômicos e financeiros nas vendas a prazo entre empresas. In: ENEGEP, 2003, Ouro Preto. XXIII ENEGEP.

Publicado
08-03-2015
Como Citar
Shinoda, C. (2015). A inclusão de juros nas vendas a prazo em operações B2B. Revista IPecege, 1(2), 7-22. https://doi.org/10.22167/r.ipecege.2015.2.7
Seção
Artigos de Revisão