A cadeia de Pecuária de Corte no Brasil: evolução e tendências

Thiago Bernardino de Carvalho, Sérgio De Zen

Resumo


As atividades relativas à pecuária bovina de corte no Brasil possuem grande destaque, dado que o país possui o maior rebanho comercial do mundo, sendo o segundo maior produtor e o maior exportador mundial de carne bovina. A principal característica no desenvolvimento dessa atividade no País é a heterogeneidade nos sistemas de produção e nos mecanismos de gestão e de comercialização do gado. A Pecuária brasileira tem passado por grandes mudanças nos últimos anos. Na indústria, a profissionalização levou as empresas à abertura de capital, a internacionalização, a diversificação das atividades e produtos e, como consequência num mercado oligopolizado, à concentração do setor. Dentro da porteira, o setor produtivo também tem conseguido avanço, no emprego de tecnologias, diversificação de atividades e novas formas de comercialização, com a indústria de insumos e os frigoríficos. O futuro do mercado de gado de corte, assim como para todo o agronegócio brasileiro é promissor, devido principalmente a disponibilidade de terra e água presentes no território nacional para se produzir carne e ofertar ao mundo.


Palavras-chave


bovinocultura de corte, mercado, comercialização

Texto completo:

PDF

Referências


Agri Benchmark. 2015. Beef Report. Disponível em: . Acesso em: 20 dez. 2016.

Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne [ABIEC]. 2011. Perfil da pecuária brasileira. Disponível em: . Acesso em: 19 dez. 2016.

Associação Nacional Dos Confinadores [Assocon]. 2016. Notícias. Disponível em: . Acesso em: 17 mar. 2016.

Brasil Foods [BRF]. 2016. Investidores. Disponível em: . Acesso em: 22 nov. 2016.

Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada [CEPEA]. 2015. Relatório de Pesquisa: Estudo do Abate Bovino no Brasil. Disponível em: . Acesso em: 04 jan. 2017.

Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada [CEPEA]. 2016a. Indicadores de Preços Boi. Disponível em: . Acesso em: 04 jan. 2017.

Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada [CEPEA]. 2016b. PIB agronegócio. Disponível em: . Acesso em: 06 jan. 2017.

Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada [CEPEA]. 2016c. Custos e Gestão: Relatório Pecuário. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2017.

Grupo Pão de Açúcar [GPA]. 2015. Relatório. Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2015.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. 2015. Pesquisa Trimestral de Abate de Animais. Disponível em: . Acesso em: 05 jan. 2017.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. 2016. Produção da pecuária municipal. Disponível em: . Acesso em: 05 jan. 2017.

JBS Brasil [JBS]. 2015. Relação com Investidores. Disponível em: . Acesso em: 09 nov. 2016.

Marfrig Global Foods [MARFRIG]. 2016. Investidores. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2016.

Minerva Foods [MINERVA]. 2015. Investidores. Disponível em:

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento [MAPA]. 2015. Quantidade de Abate Estadual por Ano/Espécie. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2016.

Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviço [MDIC]. 2016. Estatísticas do Comércio Exterior. Disponível em: . Acesso em: 04 jan. 2017.

Vinholis, M.M.B.; Souza Filho, H.M.; Carrer, M.J. 2012. Determinants of hybrid forms of governance in the Brazilian beef cattle market. In: Conference on Institutions and Organizations, São Carlos, Brasil.




DOI: https://doi.org/10.22167/r.ipecege.2017.1.85

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Thiago Bernardino de Carvalho, Sérgio De Zen

Rev iPecege, Piracicaba, SP, Brasil. e-ISSN 2359-5078

 Licença Creative Commons Revista iPecege está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Indexadores e diretórios: