Atratividade financeira do arrendamento versus compra de terras para produção agrícola no Sul do Paraná

Rodrigo Gawlak, Flávio Carlos Dalchiavon

Resumo


O arrendamento de terras para a produção agrícola é uma opção para evitar altos investimentos com a sua aquisição. Objetivou-se comparar a viabilidade econômica de compra e arrendamento de áreas agrícolas em São Mateus do Sul – PR, em 2017, utilizando a rentabilidade da soja e do milho, em um sistema de rotação de culturas na proporção de 80/20%, respectivamente. Os custos de produção foram determinados pelo Custo Operacional Efetivo, Custo Operacional Total e Custo Total para cada cultura, assim como foram determinadas a Receita Total, Margem Bruta, Margem Líquida e Resultado Total. Para a viabilidade de compra e arrendamento de terras foram avaliados o investimento inicial, retornos anuais, Valor Presente, Valor Presente Líquido, Taxa Interna de Retorno e Payback. Os preços das terras praticados são de R$ 27.700,00 o hectare e de 16 sacas de soja de 60 kg por ha ano-1 de arrendamento, valor definido pelo preço de mercado da oleaginosa. O milho não é atrativo, considerando os indicadores de Margem Líquida e Resultado Total, no entanto, o sistema soja/milho é rentável na proporção de 80/20%, respectivamente. O grande obstáculo é a escassez de terras disponíveis à agricultura, de forma que o arrendamento é mais rentável nesse período de desvalorização das “commodities” e de terras com preços inflacionados, proporcionando menor dispêndio inicial de capital. Assim, o arrendamento de terras é atrativo no curto prazo, enquanto a compra não é atrativa, tão pouco a longo prazo para a produção de soja e milho.


Palavras-chave


aquisição de terras, arrendamento agrícola, indicadores financeiros, milho, soja

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, P.J.; Buainain, A.M. 2013. Os contratos de arrendamento e parceria no Brasil. Revista Direito GV 91: 319-344.

Baker, T.G.; Boehlje, M.D.; Langemeier, M.R. 2014. Farmland: Is it currently priced as an attractive investment? American Journal of Agriculture Economics 965: 1321-1333.

Banco Central do Brasil [BACEN] 2017. Taxa de juros. Disponível em: . Acesso em: 03 jun. 2017.

Borras, S.M.; Franco, J.; Kay, C.; Spoor, M. 2011. Land Grabbing in Latin America and the Caribbean Viewed from Broader International Perspectives. Escritório Regional da FAO, Santiago, Chile.

Brasil. 1966. Decreto n. 19.566, de 14 de novembro de 1966. Regulamenta as Seções I, II e III do Capítulo IV do Título III da Lei nº 4.504, de 30 de novembro de 1964, Estatuto da Terra, o Capítulo III da Lei nº 4.947, de 6 de abril de 1966, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/antigos/d59566.htm>. Acesso em: 21 jan. 2018.

Brasil. 1964. Lei n. 4.504, de 30 de novembro de 1964. Dispõe sobre o Estatuto da Terra, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 22 jan. 2018.

Companhia Nacional do Abastecimento [CONAB]. 2016. Custos de produção – culturas de verão. Disponível em: . Acesso em 18 abr. 2017.

Companhia Nacional do Abastecimento [CONAB]. 2017.

Acompanhamento da safra brasileira: grãos. Sétimo levantamento da safra 2016/17. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2017.

Companhia Nacional do Abastecimento [CONAB]. 2018. Portal de Informações Agropecuárias, Observatório Agrícola, Grãos – Série Histórica. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2018.

Deininger, K.; Byerlee, D. 2011. Rising Global Interest in Farmland: Can It Yield Sustainable and Equitable Benefits? The World Bank, Washington, D.C., USA.

Ferreira, B.G.C.; Freitas, M.M.L.; Moreira, G.C. 2015. Custo operacional efetivo de produção de soja em sistema de plantio direto. Revista iPecege 11: 39-50.

Franco, M.; Vivo, J.M.; Herrerías, R. 2015. A quick assessment from expert judgments to assist in farmland valuation. Land Use Policy 46: 324-329.

Guia Trabalhista. 2017. Planilha de encargos sociais e trabalhistas. Disponível: . Acesso em: 26 abr. 2017.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. 2006. Censo Agropecuário 2006: Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2017.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. 2012. Censo Agropecuário 2006: Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação, Segunda Apuração. Disponível em: . Acesso em: 27 jan. 2018.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. 2017. Cidades: Paraná – São Mateus do Sul. Disponível em: . Acesso em: 05 fev. 2017.

Malassise, R.L.S.; Parré, J.L.; Fraga, G.J. 2015. O Comportamento do Preço da Terra Agrícola: um modelo de painel de dados espaciais. Revista de Economia e Sociologia Rural 53(4): 645-666.

Matsunaga, M.; Bemelmans, P.F.; Toledo, P.E.N.; Dulley, R.D.; Okawa, H.; Pedroso, I.A. 1976. Metodologia de custo de produção utilizada pelo IEA.

Agricultura em São Paulo 23: 123-139.

Mota, E.P.; Mendes, F.L.; Shirota, R. 2015. Viabilidade de implantação de ureias revestidas no cultivo de milho para Estado de São Paulo. Revista iPecege 11: 22-38.

Projeto Soja Brasil. 2016. Valor do arrendamento cai em quase todo o Brasil. Disponível em: . Acesso em: 06 mar. 2017.

Puccini, E.C. 2011. Matemática Financeira e Análise de Investimentos. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil.

Receita Federal. Instrução Normativa SFR n. 256, de 11 de dezembro de 2002. Dispõe sobre normas de tributação relativas ao Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 03 maio 2017.

Receita Federal. Instrução Normativa RFB n. 1700, de 14 de março de 2017. Dispõe sobre a determinação e o pagamento do imposto sobre a renda e da contribuição social sobre o lucro líquido das pessoas jurídicas e disciplina o tratamento tributário da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins no que se refere às alterações introduzidas pela Lei nº 12.973, de 13 de maio de 2014. Disponível em: . Acesso em: 06 maio 2017.

Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento [SEAB]. 2015. Estimativa do Custo de Produção. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2018.

Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento [SEAB]. 2016. Preço médio de terras agrícolas. Disponível em: . Acesso em: 02 mar. 2017.

Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento [SEAB]. 2017a. Preços Recebidos pelo Produtor. Disponível em: . Acesso em: 25 jan. 2018.

Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento [SEAB]. 2017b. Produção agropecuária. Disponível em: . Acesso em: 02 maio 2017.

Sousa, T.R.; Silva, A.C.; Faria, R.Q.; Silva Neto, S.P. 2013. Viabilidade econômica de cultivo da sucessão soja milho, em áreas próprias e arrendadas. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE MILHO SAFRINHA, 12, Dourados, MS. Estabilidade e produtividade: anais. Embrapa, Brasília, DF, Brasil. CD-ROM.

Telles, T.S.; Palludeto, A.W.A.; Reydon, B.P. 2016. Price movement in the Brazilian land market (1994-2010): an analysis in the light of post-Keynesian theory. Brazilian Journal of Political Economy 36(1): 109-129.

Weise, A.D.; Philips, J.W.; Hochheim, N.; Bornia, A.C. 2013. Contramedidas da especulação imobiliária no mercado residencial. Cadernos de Arquitetura e Urbanismo 2027: 124-141.




DOI: https://doi.org/10.22167/r.ipecege.2018.3.7

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Rodrigo Gawlak, Flávio Carlos Dalchiavon

Rev iPecege, Piracicaba, SP, Brasil. e-ISSN 2359-5078

 Licença Creative Commons Revista iPecege está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Indexadores e diretórios: