Rentabilidade da monta natural e inseminação artificial em tempo fixo na pecuária de corte

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22167/r.ipecege.2018.1.28

Palavras-chave:

bovinocultura de corte, custo, IATF, MN, prenhez

Resumo

O futuro da pecuária de corte e consequentemente sua rentabilidade estão atrelados a otimização do uso da terra, visto que em muitos estados sua área vem sendo ocupada pela agricultura. Uma das alternativas é o uso de biotecnologias da reprodução, como a inseminação artificial em tempo fixo (IATF) que permite a inseminação de animais sem a detecção do estro. O objetivo desse estudo foi avaliar o custo por prenhez da monta natural (MN) e da IATF em fêmeas pluríparas em um rebanho de corte. Os animais foram divididos em dois grupos: MN (n = 150) e IATF (n = 150). O custo por prenhez incluiu itens como vida útil do touro, depreciação, remuneração do capital e remuneração de funcionários, entre outros. O custo na MN foi calculado a partir de um valor de compra de R$ 9.000,00, taxa de prenhez de 75% e proporção de um touro para 30 vacas. Na IATF foi baseado na taxa de prenhez de 87% e valor do serviço por animal de R$ 60,00. O custo por prenhez foi de R$ 117,62 e R$ 217,66 para a MN e a IATF, respectivamente. As vantagens da utilização da IATF foram, maior taxa de prenhez no início da estação de monta, antecipação de partos, formação de lotes de bezerros mais pesados a desmama e diminuição do descarte involuntário. Desta forma, apesar de um investimento inicial maior, a IATF teve um bom custo/benefício e rentabilidade. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Glauber dos Santos, Instituto Pecege

Glauber dos Santos formou-se em 2008 em Zootecnia pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), onde também concluiu seu mestrado em Ciências Veterinárias. Fez doutorado em Ciências Animal e Pastagens pela Universidade de São Paulo – USP/Esalq, Piracicaba. Atualmente é pesquisador associado do Instituto Pecege, assistente de coordenação do MBA em Gestão de Projetos USP/ESALQ e coordenador do Boletim da Forragem. Trabalhou durante 2 anos como consultor técnico na área de gestão financeira em propriedades leiteira e por 1 ano foi gerente de uma fazenda produtora de leite, na região de Lavras. Tem experiência dentro da zootecnia na área de bovinos de leite, atuando principalmente nos seguintes temas: Gestão da criação de bezerras, Gestão Integrada de Bovinos Leiteiro (planejamento de rebanhos, custo de produção e análise de rentabilidade) e Produção de bovinos leiteiro. É autor de diversos artigos científicos, boletins técnicos e um capítulo de livro. Contribuiu na condução de vários experimentos em nutrição de ruminantes, junto com o núcleo de estudo Grupo do Leite - UFLA.

Referências

Amaral, T.B.; Costa, F.P.; Corrêa, E.S. 2003. Touros melhoradores ou inseminação artificial: um exercício de avaliação econômica. Embrapa/CNPGC, Campo Grande, MS. n°140.

Arruda, Z.J. 1993. Considerações econômicas sobre a produção de bezerros de corte. Embrapa-CNPGC, Campo Grande, MS. n°47.

Bó, G.A.; Cutaia, L.; Chesta, P.; Balla, E.; Picinato, D.; Peres, L.; Maranã, D.; Avillés, M.; Menchaca, A.; Veneranda, G.; Baruselli, P.S. 2005. Implementacion de programas de inseminación artificial en rodeos de cria de argentina. Proc VI Simposio Internacional de Reproducción Animal. Córdoba, Argentina, p. 97–128.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. 2016. Pesquisa Pecuária Municipal. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2017.

Kichel, A.N.; Costa, A.A.A.; Verzignassi, J.R.; Queiroz, H.P. 2011. Diagnóstico para o planejamento da propriedade. Em

brapa/CNPGC, Campo Grande, MS. n°182.

McKinniss, E.N.; Esterman, R.D.; Woodall, S.A.; Austin, B.R.; Hersom, M.J.; Yelich, J.V. 2011. Evaluation of two progestogen-based estrous synchronization protocols in yearling heifers of Bos indicus × Bos taurus breeding. Theriogenology 75:1699-1707.

Neto, N. Z e Dalchiavon, F. C. Viabilidade financeira da inseminação artificial em tempo fixo de bezerros cruzados Nelore e Aberdeen Angus. Revista IPecege 3(3): 23-27, 2017

Pires, V.A.; Araujo, C.R.; Mendes, Q.C. 2004. Fatores que interferem na eficiência reprodutiva de bovinos de corte. In: SIMPÓSIO PECUÁRIA INTENSIVA NOS TRÓPICOS. Anais... Piracicaba: Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz, p. 355-398.

Sá filho, M.F.; Penteado, L.; Reis, E.L.; Reis T.A.; Galvão, K.N.; Baruselli, P.S. 2013. Timed artificial insemination early in the breeding season improves the reproductive performance of suckled beef cows. Theriogenology 79:625-632.

Silva, A.S.; Silva, E.V.C.; Nogueira, E.; Zúccari, C.E.S.N. 2007. Avaliação do custo/benefício da inseminação artificial convencional e em tempo fixo de fêmeas bovinas pluríparas de corte. Revista Brasileira de Reprodução Animal 31:443:455.

Tortorella, R.D.; Ferreira, R.; Dos Santos, J.T.; Neto, O.S.A.; Barreta, M.H.; Oliveira, J.F.; Gonçalves, P.B.; Neves J.P. 2013. The effect of equine chorionic gonadotropin on follicular size, luteal volume, circulating progesterone concentrations, and pregnancy rates in anestrous beef cows treated with a novel fixed-time artificial insemination protocol. Theriogenology 79:1204-1209.

Yavas, Y.; Walton, J.S. 2000. Postpartum acyclicity in suckled beef cows: A review. Theriogenology 54:25-55.

Wildman, E.E.; Jones, G.M.; Wagner, P.E. 1982. A dairy cow body condition scoring system and its relationship to selected production characteristics. Journal of Dairy Science 65:495-501.

Downloads

Publicado

01-03-2018

Como Citar

dos Santos, G., Tortorella, R. D., & Fausto, D. A. (2018). Rentabilidade da monta natural e inseminação artificial em tempo fixo na pecuária de corte. Revista IPecege, 4(1), 28-32. https://doi.org/10.22167/r.ipecege.2018.1.28

Edição

Seção

Artigo Original - Agronegócio