Mercado de opções como alternativa de gestão do risco de preço para o sojicultor

  • Betina Simon Valaski Engenheira Agrônoma, prefeitura de Rondonópolis - MT
  • Flávio Carlos Dalchiavon Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso, Campus Campo Novo do Parecis
Palavras-chave: agronegócio, BM&FBOVESPA, “hedge”, soja

Resumo

A gestão do risco de preço é ainda pouco utilizada pelo sojicultor, muitas vezes devido à falta de conhecimento. Objetivou-se avaliar se o Mercado de Opções atende à finalidade de proteção de preços (“hedge”) para a soja. Foram calculados o custo operacional efetivo [COE] e a margem de contribuição operacional efetiva [MCOE] para a safra de soja 2015/2016, utilizando-se os dados de uma propriedade rural de Cascavel-PR. Simulou-se o uso do Mercado de Opções na Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros [BM&FBOVESPA], utilizando-se dois preços de exercício [Pe] negociados sobre o contrato futuro de soja K16, considerando-se os valores das compras a prazo com insumos e os seus vencimentos. A MCOE obtida após a simulação foi comparada a MCOE obtida sem “hedge”. Foram calculadas a correlação e as bases diárias, considerandose os preços no mercado futuro (BM&FBOVESPA) e no mercado físico, na Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Estado do Paraná [SEAB], entre 30 de março de 2015 e 28 de abril de 2016. A correlação obtida foi de 0,82 e as bases diárias foram sempre negativas. Os resultados da simulação na BM&FBOVESPA foram negativos para ambos os Pe, visto que o mercado era altista, assim, a Opção não é exercida e o prejuízo limita-se ao prêmio pago pela Opção. Esses resultados negativos reduziram a MCOE em 7,31% e 1,97%. Buscar o conhecimento e a compreensão dos riscos e do funcionamento desse Mercado é fundamental para que o sojicultor obtenha sucesso. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Abitante, K.G. 2008. Co-integração entre os mercados spot e futuro: evidências dos mercados de boi gordo e soja. Revista de Economia e Sociologia Rural 46: 75-96.

Badaró, G.S.C.; Castro Júnior, L.G.de; Fontes, R.E. 2012. Análise da utilização de mecanismos de controle do risco de mercado para compra de insumos e venda do boi gordo na pecuária de corte. In: Conferência em Gestão de Risco e Comercialização de Commodities[CGRCC]. BM&FBOVESPA, São Paulo, SP, Brasil. Disponível em: <http://www2.bmf.com.br/cim>. Acesso em: 20 dez. 2016.

Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros [BM&FBOVESPA]; Comissão de Valores Mobiliários [CVM]. 2015. Mercado de Derivativos no Brasil: Conceitos, Produtos e Operações. CVM, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Disponível em:<http://www.portaldoinvestidor.gov.br/publicacao/LivrosCVM.html>. Acesso em: 23 ago. 2016.

BM&FBOVESPA. 2016.Dados Históricos: Derivativos. Disponível em:

<http://www2.bmf.com.br/Mais/Index.html?Idioma=pt-br>. Acesso em: 13set. 2016.

BM&FBOVESPA. 2016. Mercado de Derivativos: Estatísticas. Disponível em:

<http://www.bmfbovespa.com.br/pt_br/servicos/market-data/consultas/mercado-de-derivativos/resumo-das-operacoes/estatisticas/>. Acesso em: 04jan. 2017.

Calegari, I.P.; Baigorri, M.C.; Freire, F.S. 2012. Os derivativos agrícolas como uma ferramenta de gestão do risco de preço. Custos e @gronegócio online 8: 2-21.

Canziani, J.R.; Guimarães, V.A. 2006. Venda no momento certo garante melhores preços. p.130-133. In: Revista Visão Agrícola, n.º 5. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo, Piracicaba, SP, Brasil.

Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada [CEPEA]. 2015. Custos de produção agrícola. Disponível em: <http://www.cepea.esalq.usp.br/br/categoria/acessar/custos-de-producao-agricola-abril-2015.aspx>. Acesso em: 15 dez. 2016.

Christofoletti, M.A.M.; Silva, R.M. da; Martines Filho, J.G. 2013. Cointegração e causalidade no mercado de soja: análises para Brasil, China e EUA. In: CGRCC. BM&FBOVESPA. São Paulo, SP, Brasil. Disponível em:<http://www2.bmf.com.br/cim>. Acesso em: 26 out. 2016.

CME GROUP. Revisão Mensal de Agricultura. Disponível em: <http://www.cmegroup.com/pt/education/files/magu-2016-12.pdf>. Acesso em: 12 mar. 2018.

Corrêa, A.L.; Raíces, C. 2005. Derivativos Agrícolas. Editora Globo, São Paulo, SP, Brasil. Disponível em: <http://archerconsulting.com.br/livro/>. Acesso em: 26 ago. 2016.

Cruz, A.C. da; Lima, J.E. de. 2009. Efetividade nas operações de hedge com contratos de boi gordo da BM&FBOVESPA. Revista de Economia e Administração 8: 120-140.

Dancey, C.P.; Reidy, J. 2006.Análise de correlação: o r de Pearson. p. 178-216. In: Estatística sem Matemática para Psicologia. 3ed. Artmed, Porto Alegre, RS, Brasil.

Dias, F.C.F.; Figueiredo Neto, L.F. 2008. Mercado futuro de soja na BMF e CBOT: uma análise no período de 2005 a 2007. In: Congresso Brasileiro de Economia e Sociologia Rural, Rio Branco, AC, Brasil. Disponível em: <http://www.sober.org.br/palestra/9/252.pdf>. Acesso em: 29 set. 2016.

Everaldo Junior, A.G.; Osaki, M. 2005. Avaliação do efeito da ferrugem asiática no custo operacional efetivo da soja no Estado do Mato Grosso. In: Congresso Brasileiro de Economia e Sociologia Rural, Ribeirão Preto, SP, Brasil. Disponível em: <http://www.sober.org.br/palestra/2/517.pdf>. Acesso em: 28 out. 2016.

Ferreira, B.G.C.; Freitas, M.M.L.; Moreira, G.C. 2015. Custo operacional efetivo de produção de soja em sistema de plantio direto. Revista iPecege 1: 39-50.

Fileni, D.H.; Marques, P.V.; Machado, H.M. 1999. O risco de base e a efetividade do hedge para o agronegócio do café em Minas Gerais. Organizações Rurais e Agroindustriais1: 42-50.

Fontes, R.E.; Castro Junior, L.C. de; Martins, C.M.F; Andrade, L.P. de. 2005. Estratégia de comercialização em mercados derivativos: descobrimento de base e de risco de base da cultura da soja em diversas localidades do Brasil. In: Congresso Brasileiro de Economia e Sociologia Rural, Ribeirão Preto, SP, Brasil. Disponível em:<http://www.sober.org.br/palestra/2/626.pdf>.Acesso em: 27 out. 2016.

Gabriel, F. 2011. Base e o risco de base do café arábica no Brasil: um estudo empírico para o período 2003-2010. In: CGRCC. BM&FBOVESPA. São Paulo, SP, Brasil. Disponível em: <http://www2.bmf.com.br/cim>. Acesso em: 04 out. 2016.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. 2015a. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola [LSPA]. Disponível em: . Acesso em: 28 out. 2016.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. 2015b. Produção Agrícola Municipal [PAM]. Disponível em:. Acesso em: 28 out. 2016.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. 2016. LSPA. Disponível em: . Acesso em: 04 jan. 2017.

Kay, R.D.; Edwards, W.M.; Duffy, P.A. 2014.Gestão de Propriedades Rurais. 7ed. AMGH Editora, Porto Alegre, RS, Brasil.

Maia, F.N.C.S.; Aguiar, D.R.D. de. 2010. Estratégias de hedge com os contratos futuros de soja da Chicago Board of Trade. Gestão & Produção 17: 617-626.

Marques, P.V.; Mello, P.C. de; Martines Filho, J.G.2006. Mercados Futuros e de Opções Agropecuárias. Série Didática nº D-129. Departamento de Economia, Administração e Sociologia, ESALQ/USP, Piracicaba, SP, Brasil. Disponível em:<http://economia.esalq.usp.br/did/did-129.pdf>. Acesso em: 25 ago. 2016.

Marques, R.H.S.; Aguiar, D.R.D. 2004. Determinantes do uso de mercados futuros pelos produtores de soja no município de Cascavel, PR. Revista de Economia e Agronegócio 2: 209-234.

Martins, A.G.; Aguiar, D.R.D. 2004. Efetividade do hedge de soja em grão brasileira com contratos futuros de diferentes vencimentos na Chicago Board of Trade. Revista de Economia e Agronegócio 2: 449-472.

Matsunaga, M.; Bemelmans, P.F.; Toledo, P.E.N. de; Dulley, R.D.; Okawa, H.; Pedroso, I.A. 1976. Metodologia de custo de produção utilizada pelo IEA. Boletim Técnico do Instituto de Economia Agrícola 1: 123-139.

Morais, L.C.; Cezar, I.M.; Souza, C.C. de. 2011. Uso de derivativos agropecuários como mecanismo de comercialização de soja, no município de Rio Verde, Goiás. Revista Ceres 58: 567-575.

Mühlen, A.S.R. Won; Cezar, I.M.; Costa, F.P. 2013.Risco de preço na comercialização da soja: uso de derivativos pelos produtores rurais de Maracaju-MS. Ciência Rural 43: 937-943.

Oliveira Neto, O.J. de; Figueiredo, R.S. 2008. Análise das operações de hedge do boi gordo no mercado futuro da BM&F para o estado de Goiás. Revista Gestão &Planejamento 9: 77-93.

Rocha, D.T. da; Corso, J.M.D.; Pedro, J.J.; Silva, W.V. 2010. Relação entre os preços do grão de soja nos mercados à vista e futuro: uma análise a partir da razão ótima de hedge. Revista da Faculdade de Administração e Economia 1: 113-137.

Rosalem, V.; Gomes, C.S.; Oliveira, M.V. de. 2008. Estratégia de comercialização em mercados derivativos: cálculo de base e risco de base do boi gordo em diversas localidades do Brasil. Revista de Administração da UFSM 1: 402-417.

Santos, M.P. dos; Botelho Filho, F.B.; Rocha, C.H.2008.Hedge de mínima variância na BM&F para soja em grãos no Centro-Oeste. Sociedade e Desenvolvimento Rural 2: 203-212.

Schouchana, F. 2004. Introdução aos Mercados Futuros e de Opções Agropecuários no Brasil. 3ed. Bolsa de Mercadorias & Futuros, São Paulo, SP, Brasil.

Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado do Paraná [SEAB]; Departamento de Economia Rural [DERAL]. 2016. Cotações diárias. Disponível em: <http://www.agricultura.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=234>. Acesso em: 15 set. 2016.

Silva, A.R.O. da; Aguiar, D.R.D.; Lima, J.E. de. 2003. Hedging with futures contracts in the brazilian soybean complex: BM&F vs. CBOT. Revista de Economia e Sociologia Rural 41: 383-405.

Silva, T.L.; Faria, A.F.G. de. 2016. Estatística como ferramenta para mitigar o risco de preço sobre o hedge de boi gordo. Revista iPecege 2: 40-56.

Souza, W.A.R. de; Martines Filho, J.G.; Marques, P.V. 2012. Análise de estratégias de hedge simultâneo para a produção de soja no Centro-Oeste. Revista de Economia 38: 73-92.

Tonin, J.M.; Tonin, J.R.; Tonin, G.M. 2008.Operações de hedge no mercado da soja: uma análise comparativa para o Estado do Paraná. Revista Paranaense de Desenvolvimento 115: 7-30.

Tonin, J.R.; Alves, A.F.; Tonin, J.M. 2013. Análise da transmissão de preços da soja no Paraná: uma abordagem com custos de transação. In: Congresso Brasileiro de Economia e Sociologia Rural, Belém, PA, Brasil. Disponível em: <http://www.sober.org.br/congresso2013/>. Acesso em: 27 out. 2016.

Widonsck, C.A.; Ribeiro, C.O. 2009. Conceitos de derivativos – Soja. p. 127-173. In: Widonsck, C.A.; Ribeiro, C.O.; Palermo, D.M.; Rego, R.M.F.; Savoia, J.R.F. Agronegócio no Brasil: uma perspectiva financeira. Saint Paul Editora, São Paulo, SP, Brasil.

Zimmermann, F.J.P. 2004. Estatística Aplicada à Pesquisa Agrícola. Embrapa Arroz e Feijão, Santo Antônio de Goiás, GO, Brasil.

Publicado
15-01-2019
Como Citar
Valaski, B., & Dalchiavon, F. (2019). Mercado de opções como alternativa de gestão do risco de preço para o sojicultor. Revista IPecege, 4(4), 16-30. https://doi.org/10.22167/r.ipecege.2018.4.16
Seção
Artigo Original - Agronegócio