Avaliação dos riscos envolvidos na produção de milho e soja nos municípios do Mato Grosso

Fernanda Aparecida Castro Pereira, Aline Fernanda Soares

Resumo


A agricultura opera com instabilidade de produção principalmente devido a fatores imprevisíveis que afetam a cultura. Por esse motivo, as seguradoras têm dificuldade de quantificar o risco exato associado aos municípios produtores, principalmente no estado de Mato Grosso. Não existem estudos claros associados à segmentação e quantificação desse risco em uma escala menor. Diante desse fato, o trabalho buscou quantificar e segmentar o risco de produção de milho e soja no estado Mato-Grossense por meio de análises de agrupamento. Para o agrupamento das médias, foi adotada a metodologia não hierárquica de agrupamento denominada K-means, onde se obteve sete clusters. O risco associado à cada cluster foi estimado com base no cálculo do coeficiente de variação da média de produtividade de milho e soja entre os municípios. O trabalho apresentou variação na taxa de risco entre os clusters principalmente considerando a produtividade de milho; os municípios do cluster número 3 (Porto Alegre do Norte, Serra Nova Dourada, Santa Terezinha, Jangada, Barra do Bugres e Porto Estrela) apresentaram as maiores taxas de risco (10,2%) e podem ser desconsiderados da carteira de crédito das seguradoras; e, para a soja, as taxas de riscos entre os clusters foram similares devido à estabilidade produtiva até o momento. Nesse cenário, sugere-se que as seguradoras trabalhem com prêmios menores e introduzam programas de subvenção ao seguro rural naqueles municípios com risco individual elevado.


Palavras-chave


análise de agrupamento, produtividade agrícola, seguro agrícola

Texto completo:

PDF

Referências


Berlato, M.A.; Fontana, D.C. 1999. Variabilidade interanual de precipitação pluvial e rendimento de soja no Estado do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Agrometeorologia 7: 119–125.

Compania Nacional de Abastecimento [CONAB]. 2016. Levantamento SAFRA. Disponível em: . Acesso em: 22 abr. 2016

Everitt, B.S.; Landau, S.; Leese, M.; Stahl, D. 2011. Cluster Analysis. Nova Jersey: Wiley, New Jersey, USA.

Favarin, J.L.; Oliveira, A.C.B. de. 2013. Zoneamento agrícola: há o que se considerar. Visão Agrícola 8(12): 88–89.

Frei, F. 2006. Introdução à análise de agrupamentos: Teoria e prática. Editora UNESP, São Paulo, São Paulo, Brasil.

Hair Jr., J.F.; Black, W.C.; Babin, B.J.; Anderson, R.E.; Tatahn, R.L. 2005. Análise multivariada de dados. 5ed. Bookman, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. 2015. Pesquisa Pecuária

Municipal. Disponível em: . Acesso em: 02 nov. 2015.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. 2016. Estatística da Produção Agrícola: dezembro de 2016. Disponível em: . Acesso em: 01 fev. 2017.

Manly, B.F.J. 1986. Multivariate statistical methods: a primer. Chapman and Hall, London, Great Britain.

Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. [MAPA] 2015. Resultado Geral PSR. Disponível em: . Acesso em: 02 maio 2016.

Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento [MAPA] 2016. Seguro Rural. Disponível em: . Acesso em: 02 maio 2016.

Musshoff, O.; Odening, M.; Xu, W. 2011. Management of climate risks in agriculture - will weather derivatives permeate? Applied economics 43(9): 1067–1077.

Ozaki, V.A. 2007. O papel do seguro na gestão do risco agrícola e os empecilhos para o seu desenvolvimento. Revista Brasileira de Risco e Seguro 2(4): 75–92.

Ozaki, V.A. 2008. Em busca de um novo paradigma para o seguro rural no Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural 46(1): 97–119.

Ozaki, V.A. 2009. Análise e quantificação do risco para a gestão eficiente do portfólio agrícola das seguradoras. Revista de Economia e Sociologia Rural 47(3): 549–567.

Pohlmann, M.C. 2007. Análise de conglomerados. In: Corrar, L.J.; Paulo, E.; Dias Filho, J.M. Análise multivariada para os cursos de administração, ciências contábeis e economia. Atlas, São Paulo, São Paulo, Brasil.

Ullah, R.; Damien, J.; Ganesh, P.S.; Shobhakar, D. 2015. Managing catastrophic risks in agriculture: Simultaneous adoption of diversification and precautionary savings. International Journal of Disaster Risk Reduction 12: 268–277.




DOI: https://doi.org/10.22167//r.ipecege.2017.2.38

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Fernanda Aparecida Castro Pereira, Aline Fernanda Soares

Rev iPecege, Piracicaba, SP, Brasil. e-ISSN 2359-5078

 Licença Creative Commons Revista iPecege está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Indexadores e diretórios: